terça-feira, 10 de novembro de 2009

Perguntas incomodamente insidiosas...




Há coisas assim... incómodas!... emergem, súbitas, à nossa mente e instalam-se, venenosas, insidiosas, persistentes, inquisitivas... perguntas, interrogações, dúvidas... talvez por uma espécie de reflexo condicionado provocado pelas faces ocultas de tantas coisas, pelo hábito sistemático que se vai tornando costume, de tudo, em política, acabar por revelar um preço, à partida, insuspeito - pelo menos para os incautos e os de boa-fé... vejamos... cheguei a hesitar em formular esta sequência de perguntas para mim mesma, em a pensar em voz alta, mais ainda em a escrever e a partilhar... mas torna-se-me pesado o silêncio e a persistência em a ignorar... assim, de boa-fé, aqui fica: será que se pode estabelecer alguma relação entre a defesa da continuidade dos colonatos judaicos na Cisjordânia e a aprovação do plano de saúde para milhões de norte-americanos até agora privados de um direito fundamental? ... será que um direito fundamental num canto do planeta pode justificar o contribuir para a violação de direitos fundamentais num outro espaço planetário?... que raio de humanidade é esta que inquina a acção política deixando o livre-arbítrio condicionado a opções tão injustamente desumanas?... será que nos habituámos de tal modo a encontrar razões escusas em todos os procedimentos, ao ponto de inventarmos causalidades e correlações, misturando factos e hipóteses explicativas?... será que perdemos, de vez, a nossa ingenuidade?... ou estaremos agora na posse de um molho de chaves perante um sem-número de portas, à procura de supostas correspondências?...

19 comentários:

  1. Para tornar o assunto ainda mais incómodo, transcrevo o verso 47 da 18ª lição do Bhagavad Guitá:
    "Mais vale seguir, sim, o seu próprio dharma,
    mesmo imperfeito, do que o dharma d'outro
    na perfeição; ao praticar acções prescritas pla natureza própria, não se incorre em falta."
    Se já nesta altura conseguimos teorizar explicações para as nossas acções, mesmo imperfeitas o que fará agora com muitos séculos de aperfeiçoamento em cima...
    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Justo, adequado e... humanamente, muito reconfortante apesar do peso que o saber e a responsabilidade de tantos séculos implica... Obrigado, Fernando.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  3. Cara Ana Paula

    É de facto muito difícil ver o mundo todo com os mesmos olhos. E insensivelmente, todos, uns menos, outros mais, tendem a aceitar como natural e legítima essa dualidade de pontos de vista. Talvez porque a luta se tenha de fazer por etapas e por proximidades, talvez que as várias lutas parcelares tendam a convergir para um resultado comum. Talvez...Temos de acreditar nisso.
    JMCPinto

    ResponderEliminar
  4. Grande Ana Paula! Assim é que se fala! :)
    Pois faz muito bem em partilhar, porque penso da mesma forma... isto faz lembrar o termo "alegadamente" muito usado na comunicação social, para sacudir a água do capote. Não não é acusação é apenas um alegadamente!
    Nós não estamos com um molho de chaves na mão... penso que pelo contrário... nós estamos a ser manipulados de uma forma muito desonesta. Nós ansiamos a Democracia que partiu, voou das nossas vidas. Andamos à procura da justiça social e os poderosos agem em função do inverso. Nós andamos confusos, porque nos querem confusos e têm todo os instrumentos para isso, os Media. Se Pinto Balsemão, dono e senhor dos Media, pode dar-se ao luxo de escolher até os Pesidentes. Como apoia a MFL, desta vez públicamente, o que muito me admirou... é muito subreptício!... Se colocou o estafermo do Durão na Europa, pode crer que está em manobras de divesão para acabar com o "socialismo" em Portugal! E vai entre aspas, porque o PS já obedecia a este poder... que remédio!
    Escutas outra vez?! mas não sabemos todos que tal coisa é inválida?! Pelo menos quase sempre?
    Vai-se a ver e anda a manobrar um poder (esse mesmo que ergue o Muro na Cisjordânia), acima do poder, a quem os representantes da lei fazem vénia... um poder acima do poder que nos vai consumindo e destruindo, para benefício próprio pela ânsia da manipulação, até que nos escravizem a todos. Para isso têm de nos confundir, baralhar. Há que olhar do topo da montanha e veremos de que lado actua o mal. Há que continuar o bom combate, como a Ana Paula sempr fez. O Demónio tem a face oculta, tem!... e o seu melhor trabalho, foi fazer-nos crer que não existe. Existe e desenvolve-se.
    Se é que não interpretei mal o seu texto...

    Um beijo grande e obrigada pela partilha, :)

    ResponderEliminar
  5. http//:www.youtube.com/watch?v=IA2MdbWakwk

    Com um beij

    ResponderEliminar
  6. Foi o comentário por aí acima, sem eu acabar...

    Com um beijo do grão de pó. :)

    ResponderEliminar
  7. Excelente e oportuna reflexão. Vou fazer link na 6ªa feira.

    ResponderEliminar
  8. Estamos à procura das Chaves no entanto no lugar errado, sabemo-lo, mas temos que fazer de conta que a procuramos para tranquilizarmos a nossa moral.
    Estamos isso sim, envolvidos em pequenos problemas caseiros, a troca de carro de 3 em 3 anos, o fato de marca a condizer com a carteira, a casa com muitos quartos (mais do que os membros da família com suites porque WC é para pobre).
    Depois escutamos as notícias, a nossa consciência tenta acordar, e nós resolvemos logo a questão fazendo acções de caridade, assinando petições, apadrinhando meninos em Africa.
    Apaziguada a alma, a vida continua! A culpa afinal é dos políticos não nossa!
    - Nós que os escolhemos e não lhe pedimos justificações das suas decisões, não temos culpa!
    - Nós que não votamos e deixamos os outros escolher por nós, não temos culpa!
    - Nós que somos pais e não ensinamos aos nossos filhos os seus deveres (votar, participar na vida social, ajudar o próximo) não temos culpa!
    - Nós que somos professores e não temos educação cívica nas escolas, não temos culpa!
    Todos resolvem o problema da mesma forma, o que podemos nós fazer, esses problemas são em africa, a Palestina, na América, na africa.
    A culpa é dos governos! E a consciência repousa em paz!
    Lurdes

    ResponderEliminar
  9. Apesar de os nossos comentários parecerem os extremmos opostos concordo em absoluto co o Anónimo (Lurdes), pois temos que nos mobilizar e travar o bom combate, ou seja, acordar da penumbra e anstesia da qualidade de vida e defender os nossos Direitos, bem como cumprir os nossos deveres. Aqui vai um filme que prova a nossa alienação em troca de uma vidinha confortável... realmente, temos de fazer a escolha e lutar pelo BEM.
    http://www.youtube.com/watch?v=jeYscnFpEyA

    ResponderEliminar
  10. E já agora vai mais este link, pois o artigo seguinte irá ser mesmo a doer. Tenho de denunciar, no mínimo...
    http://www.noticiaslusofonas.com/view.php?load=arcview&article=24517&catogory=Opini%E3o

    ResponderEliminar
  11. Chego via Carlos Barbosa de Oliveira e gostei imenso desta forma de me por a pensar :)

    Primeiro instala-se a dúvida, esse bichinho matreiro que nos toma conta dos neurónios .. *

    Bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
  12. Caro JMCPinto,

    Obrigado!... sinceramente, muito, muito obrigado!... desculpe só agora aqui ter voltado para responder!... e, de novo, obrigado por me ajudar a repôr a centralidade da esperança na contínua luta que não poderemos deixar de persistir em travar! Aqui estamos..., porque, como diz: "Temos de acreditar nisso"!
    Um grande, grande abraço,
    Ana Paula

    ResponderEliminar
  13. Olá Fada do Bosque!

    Tenho "corrido" entre trabalhos e afazeres, sem tempo!, como se nos vai tornando habitual... por isso, as minhas desculpas por só hoje aqui voltar para agradecer as boas e solidárias palavras de uma Fada lúcida que, vigiando os bosques, vai percebendo e denunciando as entrelinhas que nos esforçamos por relativizar, no desesperado esforço de edificar o alento... obrigado pelos links que já visitei e que, como seria de esperar, valem bem a pena.
    Um beijinho numa gota de chuva :)
    Ana Paula

    ResponderEliminar
  14. Olá Lurdes,
    Como sempre o teu registo é o de alguém que se não desresponsabiliza -coisa rara nos dias que correm!... sim, Lurdes, não podemos e não devemos, "baixar a guarda" e, pelo contrário, devemos manter acesa a luz do nosso discernimento para encontrar os caminhos que nos permitem, apesar de tudo e contra-a-corrente, caminhar em frente! Grande abraço, minha amiga :)

    ResponderEliminar
  15. Carlos,
    OBrigado pelo link... e pelo comentário que um dos seus leitores, de visita por aqui, deixou registado!
    Grande abraço :)
    Ana Paula

    ResponderEliminar
  16. CPrice,
    Gostei muito de ler as suas palavras :)
    Obrigado! Volte sempre e
    Bom fim-de-semana,
    Ana Paula

    ResponderEliminar
  17. Obrigada Ana Paula...

    Este grão de pó gosta mesmo muito de si e especialmente da sua Alma de Anjo que abarca o Mundo, especialmente o dos desfavorecidos.
    Bem haja por molhar este grão de pó, já sequioso demais de Justiça. :)

    ResponderEliminar
  18. A Justiça, minha querida amiga e Boa Fada, é o adubo da terra com que cresce a Liberdade... deve ser por isso que andamos com tanta sede e todo o grão a precisar de lavar a alma na chuva redentora :)
    ... e eu queria, Boa Fadinha, que Alma de Anjo lavasse o mundo... por todos nós :)
    Beijinho enevoado que não pode deixar de sorrir a tão boas e benvindas energias :)

    ResponderEliminar