domingo, 2 de agosto de 2009

Uma Alegoria Cultural para a problemática da Identidade Política

Permitam-me a alegoria... uma alegoria construida a propósito da dança, enquanto expressão cultural, entre a etnia cigana, num processo ilustrado em 3 momentos que culminam com uma "chave" (4) para o entendimento do que se pretende transmitir com a sua evocação... uma alegoria que me ocorreu a propósito da ideia da convergência e da resistência que a mesma cria, como se lhe fossem inerentes alguns anti-corpos... uma alegoria que emerge porque, convém lembrar!, a identidade é sempre, num contexto dialéctico, uma síntese que, pela sua própria natureza, se caracteriza pela miscegenação em que se pode decompôr e de que resulta, como unidade... dito de outro modo, o contacto com a diversidade não significa a perda da identidade ou, como o disse, no século XVIII, Lavoisier: "na natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma" - pensamento que, a partir da química, abriu caminho à lenta percepção social de que, pelo contrário, a interacção é motor de desenvolvimento, de adaptação e enriquecimento... porque, a aculturação não é, exclusiva e necessariamente, uma violência (apesar de nos surgir tantas vezes nas suas formas extremas, a saber, genocídio e etnocídio)... e porque, em particular no mundo de hoje, impedi-la é quase uma impossibilidade...


1 - Dança cigana - Índia (Rajastão):


2 - Dança cigana - Turquia:


3 - Dança cigana - Rússia:


4 - "Chave" alegórica:

Sem comentários:

Publicar um comentário