quinta-feira, 2 de abril de 2015

Da Paz que se Respira...

... nas paisagens, nos sorrisos e nesse extraordinário mundo onde a harmonia entre natureza e cultura não foi ainda tão adulterada como neste Ocidente onde a resiliência foi desaparecendo, substituída pela criação intencional de um consumismo que nos afasta, sob as mais diferentes formas, do melhor que somos ou podemos ser - retirando-nos a experiência natural da paz que, em esforço!, os cidadãos cansados, artificialmente procuram e têm que pagar.

Sem comentários:

Publicar um comentário