quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

O não-dito de uma crise que, afinal!, não conhecemos!




Vieram hoje a público as recentes declarações do FMI, alertando os Estados para o facto da crise ainda não ter atingido os chamados "países periféricos" de que Portugal, tal como a Grécia, a Irlanda e quiçá, a Espanha e a Itália fazem parte... Curiosamente, porque não sei se já alguma vez repararam no facto de serem considerados "periféricos" todos os países que integram, inequivocamente, a designada Europa do Sul, as declarações surgem num momento em que os cidadãos estão cansados de ser penalizados exactamente em nome dessa crise que, afinal!, diz quem sabe?!, ainda cá não chegou (ler aqui)... as consequências sociais e políticas do enredo de fenómenos que estas e outras declarações e percepções similares implicam são, uma das grandes prioridades a que cidadãos e partidos deveriam dar a maior atenção... ou, pelo menos, alguns partidos - apesar da tentação provocada pelo excesso de informação associado ao seu efectivo défice analítico e pela necessidade de cumprimento das exigências de curto prazo (responsáveis afinal de contas por essa crise que todos vivemos mas que, ao que dizem!, ainda não chegou!) em se confundir "a árvore com a floresta"!... porque a verdade é que, digam o que disserem, não estamos a assistir ao reforço democrático da Europa onde, progressiva mas continuadamente, se perdem direitos laborais e sociais, enquanto, bem pelo contrário, se assiste, um pouco por todo o lado, ao fortalecimento da direita e, sejamos claros!, da extrema-direita que vai utilizando os mecanismos legais e institucionais possíveis para ascender ao poder e disseminar a sua ideologia. E se nos não chega a informação da comunicação social sobre esta realidade, mal não nos faria recorrermos à literatura contemporânea do norte da Europa e, concretamente, da Suécia... porque se a "Trilogia Millenium" de Stieg Larsson se constitui como um exemplo paradigmático nesta matéria, outros autores, escritores e jornalistas continuam a dar o alerta disponível para quem o puder apreender... é o caso, entre outros, de Gellert Tamas e do seu livro "O Assassino do Laser" que pode conhecer melhor na entrevista que pode ser lida exactamente aqui.

Sem comentários:

Publicar um comentário