domingo, 8 de fevereiro de 2009

"Cautela e Caldos de Galinha..."


Marcelo Rebelo de Sousa no seu comentário televisivo de domingo afirmou que Portugal é o único país onde além de um governo socialista, a maioria se situa à esquerda... por apagamento da direita, por um lado e, por outro, pelo descontentamento social... Curiosamente, o que aparenta ser uma leitura elogiosa para a esquerda reverte, face a uma interpretação cuidada, numa imagem de que ninguém quis, até agora, falar: a pulverização da esquerda... na verdade, "quando a esmola é grande, o pobre desconfia" e, no caso, tantas alternativas de "esquerda" se nos colocam que, para além do recurso a terminologias verbais distintas, se torna difícil perceber o substracto comum que permite a todos evocar a esquerda - particularmente se entendermos por esquerda um projecto consistente de sociedade e um modelo de governabilidade viável... a não ser que se entenda por Esquerda a simples evocação e auto-identificação com o termo já que, no que se refere à hipótese da dita "convergência", todos estão empenhados em salvaguardar, nesse virtual espaço comum, o alargamento da sua própria dimensão... quanto a questões tais como a governabilidade, os programas e modelos de governação ou a análise socio-económica e política da realidade em termos de resposta à crise, pouco ou nada se diz. Provavelmente, são "coisas" de somenos, a que não convém dar importância... tal como não vem ao caso - a julgar pelas aparências! - que a Esquerda, para o ser, terá que ser credível... ou não será!... e para ser credível tem que governar ainda que não possa ser perfeita e fique exposta à crítica de toda a oposição!... Neste momento, a ilusão que o oportunismo político cria, no meio dos cenários da crise, aparenta uma pluralidade que, no meio da euforia, pode conduzir à pulverização... diz a sabedoria popular que: "cautela e caldos de galinha nunca fizeram mal a ninguém"!

Sem comentários:

Publicar um comentário