segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

O país político - conhecimento e impressões

Seria interessante fazer, a título de exercício, a cartografia das áreas de influência dos partidos que preenchem o espectro político nacional... por partido e, nomeadamente, em termos geográficos... depois, dever-se-ia então, proceder à mesma cartografia, por região, no que respeita ao sexo, à idade, ao grupo socio-económico, às competências académicas, aos desempenhos profissionais e aos vínculos laborais... para só falar no que considero de importância decisiva para a compreensão dos comportamentos eleitorais, dos resultados das sondagens e da dimensão do impacto social das mensagens partidárias. Ressalvo a possibilidade deste exercício estar feito e até coloco a possibilidade de, eventualmente, estar bem feito, isto é, exaustivamente feito... porque era importante que fosse um trabalho exaustivo e que estivesse amplamente divulgado para se poder, com justeza, avaliar da efectiva representatividade e do interesse nacional das prioridades políticas reconhecidas partidariamente! Na verdade, na análise política, as assimetrias regionais entre os meios rurais e urbanos não são devidamente valorizadas porque o seu pressuposto essencial assenta na quantificação demográfica... porém, para se alcançar uma coesão social e territorial de âmbito nacional precisamos de um desenvolvimento equitativo em termos regionais sob pena de contribuirmos de forma decisiva para a aglomeração humana nas metrópoles - situação que é, de há muito, um problema grave nas sociedades contemporâneas mas, que se torna extremamente gravoso em épocas de crise económica, social e financeira marcadas por elevadas taxas de desemprego. Eis uma das questões a pensar e discutir no que à democracia representativa se refere uma vez que esta realidade reforça o desequilíbrio inter-regional na exacta medida em que é identificável a relação entre os interesses defendidos pelos diferentes partidos e o tecido social que compõe a sua massa eleitoral... ora, se a questão se coloca com pertinência face à representatividade democrática, interrogo-me sobre a dimensão que adquiriria se o enfoque fosse o da democracia participativa... no final, constatariamos que seria na questão da igualdade de oportunidades para todos que desembocaria esta reflexão...

Sem comentários:

Publicar um comentário