sábado, 28 de fevereiro de 2009

A urgência imposta pela crise...



A questão que se coloca ao mundo contemporâneo e, em particular, às democracias europeias, é a de saber se a crítica gratuita e a demagogia especulativa, mais ou menos agressiva, são os melhores caminhos para, efectivamente, se enfrentarem os dramas sociais que a crise económico-financeira internacional agrava quotidianamente e cujo peso recai de forma ineludivelmente amarga sobre os cidadãos. O problema não está na aimples constatação ou enumeração das injustiças... o problema está na impossibilidade de nos remetermos à passividade, em nome de interesses narcísicos que maior satisfação alcançariam se o mundo avançasse apenas ao ritmo dos desejos e projectos de cada um... por isso, o que, neste momento, está realmente em causa é a capacidade de nos solidarizarmos em volta de um projecto sustentável capaz de intervir na evolução desta crise, restabelecendo a confiança dos cidadãos, combatendo o desemprego e lutando contra a pobreza. Todos não seremos demais!... pelo interesse público, pela salvaguarda das condições de vida das populações, pela democracia! A defesa dos interesses corporativos e o egoísmo não são, nos dias que correm, atitudes sérias e justas a ter para com os cidadãos. Hoje, mais do que nunca, a solidariedade é um dever ético! Permitam-me que o sublinhe com a poderosa voz de Miriam Makeba e o lindissimo "Soweto Blues"!

Sem comentários:

Publicar um comentário