domingo, 1 de fevereiro de 2009

Conservadores... sob o hábito de comentadores!


O alimentar e estimular de suspeições como forma de fazer política inscreve-se na lógica mais reaccionária de tentar o protagonismo na vida pública. É lamentável que, além do interesse comercial em fazer subir audiências e em vender jornais, os comentadores da nossa "praça" percam o seu tempo, investindo no reforço da difamação! Perdem com isso toda a credibilidade... agora e para o futuro! ... e lesam os grupos políticos em que se inscrevem por lhes imporem uma cumplicidade mais ou menos indirecta com a mediocridade e o assumir de pressupostos em tudo contrários a uma democracia transparente! Ficamos assim expostos à total irresponsabilidade dos que pretendem ser vozes públicas quando, das suas palavras, se retira apenas "a vontade da intriga e da má-fé" de quem não percebe (nem quer perceber!) nada da sociedade em que vive... é que, por muito que não queiram, a revolta e a mudança radical que ela, gratuitamente, pode suscitar a título de simples reacção, não conduz a qualquer forma de governabilidade que garanta o funcionamento democrático ou que contribua para melhorar a vida das pessoas... bem pelo contrário! ... obriga ao retrocesso e agrava o que tem contribuido para o impasse em que se arrasta, há demasiado tempo, a sociedade portuguesa! Não discernir o fundamento ou as consequências desta filosofia obsoleta de estar na sociedade e na política nada augura de bom para o futuro!... não é, portanto, com estas pessoas que o país pode contar para combater crises e atrasos estruturais ou, sequer, ajudar a pensar problemas!... quanto mais a resolvê-los - diria! Não... a renovação política não anda por aqui!... porque a lógica que assiste a estas posturas limita-se a reproduzir o que de pior se praticou ao longo da História, no contexto dos meios que cada tempo teve a possibilidade de utilizar.

Sem comentários:

Publicar um comentário