sábado, 7 de fevereiro de 2009

Economia - Uma Revolução Necessária


Os contextos justificam factos e mudanças... nesse sentido, ser contrapoder ou oposição, hoje, adquire um sentido particular... Com as alterações económicas e políticas dos últimos 30 anos e as mudanças sociais actualmente em curso nas democracias ocidentais, contrapoder e oposição revestem-se de uma carga conceptual que se não identifica já com as habituais afirmações contestatárias, expostas e percebidas como uma espécie de dejá vu que, na sua multiplicidade, não inspira verdadeiramente ninguém por se limitarem a reproduzir afirmações susceptíveis de serem utilizadas noutros contextos ou, pior ainda!, por deixarem transpirar a aproximação a um exercício do poder nos termos daquele que pretendem criticar... Uma extraordinária falta de imaginação e seriedade caracteriza as performances partidárias que criticam as actuações políticas, escudadas no facto de não terem de assumir responsabilidades governativas... criticar sem apresentar alternativas credíveis é o velho jogo da política assente na retórica que em si mesma se esgota, protelando a mudança... à revelia da consciência da responsabilidade que implica estarmos perante uma realidade vertiginosamente mutante que vai instalando um tecido social a que tem que se responder com a previsibilidade indispensável à antecipação dos seus piores cenários... pensar as sociedades contemporâneas à escala local, regional, nacional, comunitária e internacional à luz das novas realidades económicas, sociais, políticas e financeiras é o debate urgente que se impõe a todos... poderes, oposições e contrapoderes! ... Um debate que implica reflexões sérias como as que justificaram os Prémios Nobel atribuídos a Muhammad Yunus ou Amartya Sen... A este propósito pode ler-se aqui uma entrevista de Amartya Sen publicada no "Democracia Política e Novo Reformismo"...

Sem comentários:

Publicar um comentário